domingo, 13 de abril de 2014

COBERTURA : Show de Roberto Carlos no Arruda atraiu vários tipos de fãs(ELE É O REI)

Dos que estão viajando para acompanhar a turnê aos que assistiram a um show do cantor pela primeira vez, muita gente foi ao estádio

Imagem de Roberto Carlos
Os portões do Arruda abriram às 18h para receber o público que assistiria ao show do cantor Roberto Carlos neste sábado (12/4). E, neste horário, os primeiros fãs já chegavam ao local. Alguns carregavam faixas, fotografias ou ainda presentes, que esperavam ter a oportunidade de entregar a ele (durante o show a plateia também cantou Parabéns a você, pois o cantor completa 73 anos no dia 19).
Quem chegou neste horário encontrou filas que diminuíam rapidamente. Alguns monitores ajudavam as pessoas a encontrar o portão específico para cada tipo de ingresso. Dentro do estádio, mais alguns funcionários auxiliavam o público que comprou entradas para a área das cadeiras, facilitando o processo.
Desta parte do Arruda até as arquibancadas era possível ver gente emocionada, cantando os vários sucessos que Roberto Carlos reúne no repertório do show. Antes mesmo do cantor entrar no palco, depois que as luzes apagaram, a plateia cantou Como é grande o meu amor por você. Ele entrou em cena apenas um pouco depois das 22h, ao som de Emoções, e se despediu com a músicaJesus Cristo (e a tradicional distribuição de rosas). Entre um sucesso e outro, conversava brevemente com a plateia.
 Confira a cobertura completa no Caderno C desta segunda-feira (14/4), noJornal do Commercio.

Fonte : NE 10

Teatro: Atores globais ensaiam até a madruga em Nova Jerusalém



A temporada da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém começa no próximo sábado e os preparativos estão a todo vapor. Os artistas convidados Carol Castro (Maria), Fernanda Machado (Madalena), Carlos Machado (Pilatos) e Oscar Magrini (Herodes) estão varando a madrugada nos ensaios de cada cena sob a batuta dos diretores Carlos Reis e Lúcio Lombardi. Os globais contracenarão com o ator pernambucano José Barbosa, que faz o papel de Jesus. As encenações vão até o dia 19 de abril.








Fonte : Assessoria

EVENTO : FiveStar promove FiveStar Moda & Música em Goiana

GOIANA : Seminário debate designer tradicional em São Lourenço


Dando continuidade às atividades do 1º Seminário de Economia Criativa de Goiana, o povoado de São Lourenço, no distrito de Tejucupapo, recebeu na manhã desta quinta-feira (10/04), o segundo dia do evento com uma Roda Criativa de Designer Tradicional, ocorrida no Centro de Vocação Tecnológica (CVT) da comunidade. O encontro teve o objetivo de discutir e trocar experiências da cadeia produtiva local sobre o designer aplicado ao artesanato produzido naquela região.

Durante a roda de diálogo, que teve como palestrante o designer Ticiano Arraes, do Espaço Orbe, foram apresentadas várias experiências de trabalho de artesãos da Associação Quilombolas de São Lourenço e da Cestaria Canabrava (Ponta de Pedras) e debatidas formas de agregar inovação no trabalho e desenvolvimento socioeconômico. A mediação do debate esteve a cargo da designer goianense Talhita Medeiros.

Entre os participantes os mestres Lourenço e Zé Carlos, da Cestaria Canabrava, que discorreram sobre o êxito de seus negócios. “Nosso trabalho graças a Deus deu certo. Temos muita encomenda de hotéis, restaurantes, etc, de produtos como descanso para prato, pãozeiras, porta-revistas, lixeiras, porta-lápis e muitos outros. Um deles nos pediu exclusividade na utilização de um produto da gente”, afirmou Lourenço, que tem entre seus clientes, por exemplo, a tradicional Casa do Frios.

“É preciso ter paixão pelo artesanato. Posso até trabalhar numa fábrica, mas não deixo minha arte. A gente faz, não gosta, desmancha e faz de novo até acertar”, afirma Cecília, artesã de São Lourenço, chamando a atenção de Ticiano Arraes, que citou o exemplo da comunidade quilombola sertaneja de Conceição das Creoulas, em Salgueiro, afetada pelo crescimento econômico que ocorreu naquela região por conta de grandes empreendimentos, a exemplo da Transposição do Rio São Francisco e da Ferrovia Transnordestina.

“É preciso ter cuidado e ter paixão. Lá, muitos artesãos deixaram de produzir para se inserir naquele contexto, por exemplo, construindo quartos para alugar em cima de suas casas. Perderam o norte e com a desmobilização dos canteiros de obras, o artesanato dali passa por uma situação de inanição quanto à produção”, lamenta Arraes.

Ao final da Roda Criativa, foi oferecido aos participantes um almoço na residência da mestrina em culinária local Idalina.

Fonte: Assecom – AD Goiana | Fotos: Thyago Passos


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

MURAL DE RECADOS