sexta-feira, 25 de março de 2016

BEM ESTAR : Vírus da zika chegou ao Brasil em meados de 2013, segundo estudo

Uma das hipóteses é que vírus foi introduzido na Copa das Confederações.
Pesquisa sequenciou o genoma de sete amostras de vírus.

  Aedes aegypti, mosquito transmissor de zika, dengue, chikungunya e febre amarela, é visto sobre pele  humana em laboratório  (Foto: Luis Robayo/AFP)

Aedes aegypti, mosquito transmissor de zika, dengue, chikungunya e febre amarela, é visto sobre pele humana em laboratório (Foto: Luis Robayo/AFP)

O vírus da zika chegou ao Brasil muito antes do que se imaginava, em meados de 2013, segundo um estudo publicado nesta quinta-feira (24) na revista "Science". A presença do vírus no país só seria identificada em abril de 2015. A pesquisa foi liderada por cientistas do Instituto Evandro Chagas, no Pará, e da Universidade de Oxford, no Reino Unido.
A conclusão partiu de sete sequenciamentos do genoma do vírus isolado em amostras coletadas no Brasil e de análises de viagens aéreas de passageiros vindos de áreas endêmicas ou com surto de zika nas ilhas do Pacífico.
A análise dos dados genômicos revelou uma variabilidade muito pequena entre eles, o que sugere que houve uma introdução única do vírus no país, em algum momento entre maio e dezembro de 2013.
Registros de viagens aéreas demonstram, segundo pesquisadores, que houve um aumento de passageiros vindos de regiões afetadas pelo vírus da zika justamente neste período. Segundo o biólogo Oliver Pybus, um dos autores do estudo e professor da Universidade de Oxford, a partir do final de 2012, houve um aumento de 50% na chegada de passageiros ao Brasil vindos de áreas com zika.
Hipótese: Copa das Confederações
Uma das hipóteses em estudo é que o vírus pode ter sido introduzido no país durante a Copa das Confederações de 2013, que ocorreu no Brasil entre 15 e 30 de junho de 2013. O evento teve a participação do Taiti, que fica na Polinésia Francesa, região que foi afetada pelo vírus naquela época.

Este é o primeiro estudo sobre o surto de zika no Brasil a fazer uma análise desse tipo em relação aos dados genômicos, segundo Nuno Faria, um dos autores do estudo e professor da Universidade de Oxford e do Instituto Evandro Chagas.
O estudo também contou com a participação de pesquisadores do Instituto Adolfo Lutz, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Universidade Federal de Feira de Santana, da UIniversidade de Washington, da Universidade de Toronto e da Universidade do Texas.
FONTE : PORTAL G1

SAÚDE : Ótica vai doar óculos a bebês com microcefalia acompanhados pela Altino Ventura

Casa Lux Ótica decidiu dar acessórios depois que tomou conhecimento da história de Matheus e da necessidade de uso das lentes pelas crianças com a malformação
Depois que começou a usar óculos de grau, Matheus passou a observar melhor tudo à sua volta. A dona de casa Hilda Venâncio da Silva, contou com a ajuda de um grupo da igreja que frequenta para conseguir o acessório para o filho / Diego Nigro/JC Imagem

Depois que começou a usar óculos de grau, Matheus passou a observar melhor tudo à sua volta. A dona de casa Hilda Venâncio da Silva, contou com a ajuda de um grupo da igreja que frequenta para conseguir o acessório para o filho

Diego Nigro/JC Imagem


Ao tomar conhecimento da história do pequeno Matheus, 5 meses, contada pelo JC no último dia 11, e da necessidade de uso de óculos de grau por muitos bebês com microcefalia, a Casa Lux Ótica decidiu doar o acessório às crianças com a malformação congênita acompanhadas pela Fundação Altino Ventura (FAV).
instituição já avaliou 178 bebês que foram notificados com microcefalia. “Cerca de 80% deles precisam de óculos. Estamos muito felizes em saber que receberão o acessório”, diz a presidente da FAV, Liana Ventura. 
Depois que começou a usar as lentes, que ampliam o campo de visão, Matheus passou a observar melhor tudo à sua volta. A mãe do menino, a dona de casa Hilda Venâncio da Silva, contou com a ajuda de um grupo da igreja que frequenta para conseguir os óculos para o filho. “É uma alegria saber que o exemplo de Matheus despertou o interesse de uma ótica em dar óculos para outros bebês.”
Em breve, a Casa Lux Ótica iniciará a prova das armações. “Nenhum bebê ficará sem óculos”, garante o supervisor comercial da ótica, Mário Bortnik. 

FONTE : JC ONLINE


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

MURAL DE RECADOS