segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

CARNAVAL : Grupos de caboclinhos de Goiana estão sem verba para desfilar


Faltando menos de três semanas para a folia, grupos reclamam da falta de interesse do município em repassar verba
Grupo índios Tabajara, de Goiana, passa por dificuldades para confeccionar fantasias. Na foto, Neilton Joaquim do Carmo, presidente fundador da agremiação. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

As cores podem ser substituídas pelo cinza e, no lugar do frevo, o silêncio pode tomar conta das ruas de Goiana, na Zona da Mata Norte do estado, durante o período carnavalesco. Conhecida por ter um dos carnavais mais tradicionais de Pernambuco, a cidade vive incertezas quanto ao desfile das agremiações durante os quatro dias de folia. A menos de três semanas da festa, os grupos reclamam da falta de interesse do município em repassar verba e têm dificuldade de produzir fantasias e adereços.

Com 68 integrantes, o Índios Tabajara é um mais tradicionais de Goiana. Fundado em dezembro de 1975, o grupo só tem cerca de 30% dos adereços e roupas concluídos, feitas com R$ 4,6 mil repassados pelo governo estadual. Os trabalhos de confecção, iniciados em janeiro, estão praticamente parados. Os curumins só têm os enfeites da cabeça, enquanto os outros participantes (caciques, reis, rainhas, etc) nem isso. Faltam as saias, os adereços de braço e antebraço e os da cabeça.

"Nossas penas são mais baratas e as fantasias mais descartáveis. Todo ano, fazemos tudo novo, pois também não temos sede para guardar o material%u201D, afirmou Neílton Joaquim do Carmo, 71 anos, fundador do Índios Tabajara. Apaixonado por carnaval desde os 12 anos, ele costumava produzir as próprias fantasias e sair às ruas, sozinho, para se divertir. A missão era passar uma década brincando desse jeito, para cumprir promessa em função de acidente de trânsito. Mas a brincadeira já dura 39 anos.

Detentores de cinco títulos no concurso de índios do Recife, os Tabarajas já tem dois compromissos agendados para o carnaval: apresentações no Marco Zero e no polo de Chão de Estrelas, ambos no Recife. Para percorrer os cerca de 65 km que separam as duas cidades, precisam de dois ônibus. O valor do aluguel deles, segundo Neílton, é R$ 1,6 mil para os quatro dias de carnaval. %u201CMesmo que as fantasias estivessem prontas, não teríamos como pagar o transporte%u201D, ressalta. Segundo ele, a prefeitura de Goiana havia prometido disponibilizar R$ 20 mil dividido em cinco parcelas, a começar de outubro passado, mas o dinheiro ainda não chegou.

O caboclinho Índios Tabajaras só tem cerca de 30% dos adereços e roupas concluídos. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

O mesmo drama passam também os grupos de caboclinhos. O União Sete Flechas, um dos mais consagrados, teme a repetição de um filme já visto no ano passado. %u201CEm 2013, eles não deram verba. Até agora, este ano, só promessa. O que nos salva são as apresentações extra que fazemos e o dinheiro dado pela Fundarpe. Investimos nas fantasias e precisamos do resto%u201D, comentou Nelson Cândido Ferreira, 72 anos, presidente do grupo.

Com 120 integrantes, o grupo precisa de três ônibus para deslocamento e cada um deles custa R$ 700 o dia de carnaval. %u201CO faturado com as apresentações não dá. Hoje em dia, se não gastar, a gente não brinca%u201D, contou Nelson Cândido Ferreira.

A Secretaria de Turismo de Goiana garantiu que as agremiações irão receber verba para finalizar as fantasias e realizar desfiles e viagens antes do carnaval. Segundo o secretário Raul Almeida Júnior, um convênio foi firmado, na última semana, com a Associação de Caboclinhos do município. No documento foi estabelecida uma tabela de valores %u201Cde acordo com a necessidade de cada agremiação%u201D e foi definido que o pagamento ocorrerá em duas parcelas. Metade antes do carnaval, nesta semana, e o resto na semana pós-folia. Segundo ele, o convênio foi definido a partir de projeto de lei de subvenção votado na Câmara dos Vereadores local.

FONTE : DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Cultura Goiana: Projeto Entremeios apresenta Encontro de Luthies – Fabricando Som

A Prefeitura de Goiana, por meio da Agência Municipal de Desenvolvimento-AD Goiana, lançará, no próximo dia 21/02, o Projeto Entremeios, que consiste numa plataforma de projeção cultural com ênfase na cadeia produtiva da economia criativa. O eixo norteador busca conectar a cultura goianense a agentes, formadores de opinião e possíveis parceiros. Serão 11 edições mensais (fevereiro a dezembro) contemplando as mais diversas linguagens culturais.
As ações serão voltadas para construção de propostas das áreas de música, literatura, artesanato, audiovisual, designer, entre outras, sempre buscando a conexão entre vários agentes e instituições criativas. A abertura do projeto terá o Encontro de Luthier – Fabricando Som, tendo como curador o músico e também profissional da área Luciano Oliveira, com o objetivo de promover em Goiana um grande encontro de luthier onde os participantes terão a oportunidade de observar a arte da construção de instrumentos desde peças cruas até o instrumento pronto, além de informações teóricas e práticas sobre todo o contexto que envolve a arte da luteraria (construção de instrumentos musicais de cordas que possuem caixa de ressonância e percussão).
O Encontro de Luthier – Fabricando Som contará com dois momentos. O primeiro acontecerá na AD Goiana, localizada à Rua 05 de Maio nº 48, Centro, às 8h30, com a abertura do projeto, exibição de vídeos e instrumentos musicais, além da apresentação musical de um banco de Cavalo Marinho. O segundo momento acontecerá no Pátio da Igreja de Nossa Senhora do Amparo dos Homens Pardos, situada na Rua Manoel Borba nº 123, Centro, às 14h, com uma exposição de instrumentos que permitirá ao público o acompanhamento do processo de construção de diversos instrumentos musicais e conhecer os pontos de vista de cada Luthier sobre sua arte. Na segunda etapa também ocorrerá uma intervenção cultural com recital de poesias ao ar livre, apresentação da peça “A Noia” e finalizando o projeto a apresentação musical do grupo Maracahyba, de João Pessoa-PB.
FONTE : PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIANA

BASQUETE : SPORT X OURINHOS


O Sport Recife (segundo colocado) enfrenta o Ourinhos Basquete (quinto colocado) às 20h00 (de Brasília) no ginásio Marcelino Lopes em Recife/PE. Na Jornada anterior a equipe pernambucana bateu o Maranhão Baquete, enquanto que a agremiação de Ourinhos derrotou o Brasília/CSUV1.

As emoções ficam por conta da Equipe Show De Bola da RCEFM.Net (Narração : Nado Silva e Comentários : Leandro Araújo).

Pré-Jogo às 19h45

Depois da bela vitória sobre o Maranhão Basquete, as leoas do Sport Recife enfrentam o Ourinhos Basquete, às 20h00 (de Brasília), no ginásio Marcelino Lopes, Na Ilha Do Retiro. As emoções ficam por conta da Equipe Show de Bola, na www.rcefm.net, Interligando Você !

Narração : Nado Silva e Comentários : Leandro Araújo



Retransmissão Do Jogo De Basquete Pelo Blog Litoral Norte


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

MURAL DE RECADOS