quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

CIDADE : Pista que vai desafogar trânsito na entrada de Olinda recebe 300 metros de asfalto

 

Desde o início do ano a gestão Lupércio realiza obras na Ilha do Maruim, no Bairro de Santa Tereza, com a finalidade de melhorar o trânsito da entrada da cidade, que costuma ficar intenso no horário de pico da volta pra casa. Nesta terça-feira (26.12), mais um importante passo foi dado para a conclusão de uma rota alternativa na Ilha do Maruim, partindo da Avenida Olinda. Cerca de 300 metros da Avenida Beira Canal foram pavimentados. Depois de finalizada, a pista possibilitará aos condutores trafegar no sentido Recife-Olinda, evitando o atual gargalo na região.
Anteriormente, 180 metros haviam sido pavimentados da Avenida Beira Rio. As duas vias- que juntas já tiveram uma extensão de 480 metros beneficiados com asfalto trecho-, serão interligadas e vão formar um trecho alternativo para quem circula pela Marim dos Caetés. Os serviços estão sendo executados pela Secretaria de Obras da cidade.

“É um anseio dos moradores. Essa obra vai valorizar o local, com nova via, iluminação, mais oportunidades na região, segurança, facilitará o acesso dos bombeiros, valorizará o comércio, enfim… Será muito bom para Olinda e para os moradores da Ilha do Maruim. Concluímos esses 480 metros, agora falta bem pouco para finalizarmos esse serviço”, destacou o prefeito Professor Lupércio, que foi conferir o andamento das obras nesta terça (26.12).

“Falta agora resolver apenas as pendências com moradores que possuem casas na direção da via. Os imóveis já passaram por indenização, mas ainda as pessoas não deixaram suas casas. A maioria delas será direcionada para habitacionais, com nova moradia. Vamos resolver essa parte judicial o mais rápido possível para entregar mais uma obra na cidade”, acrescentou o chefe do Departamento de Saneamento e fiscal de obras, Benício Bezerra.

FONTE : INFORME PE

ECONOMIA : Recife fecha semana com inflação acima da média

A capital pernambucana teve alta de 0,13% para 0,25%

Na média das sete capital pesquisadas pela FGV, o IPC-S fechou a semana encerrada no último dia 22, com alta de preços de 0,27% 
Na média das sete capital pesquisadas pela FGV, o IPC-S fechou a semana encerrada no último dia 22, com alta de preços de 0,27%Foto: Pixabay


A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) fechou a semana encerrada no último dia 22 com desaceleração de preços em cinco das sete capitais pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

As duas capitais com taxa maiores do que a média das sete capitais são Recife (de 0,13% para 0,25%); e Rio de Janeiro, que ao fechar com alta de 0,54%, resultado 0,27 ponto percentual superior à média das capitais, registrou o maior IPC-S do país.

Leia também:
Inflação das férias escolares pesa no bolso dos pais, diz FGV
IPC-S tem leve melhora no Recife e recua em cinco capitais


Na média das sete capital pesquisadas pela FGV, o IPC-S fechou a semana encerrada no último dia 22, com alta de preços de 0,27%, ainda assim registrando desaceleração de 0,07 ponto percentual em comparação com a alta de 0,34% registrada na semana anterior.

Entre as cinco capitais com desaceleração de preços, o principal destaque é Salvador, que depois de ter registrado alta de 0,13% na semana encerrada no dia 15, fechou no dia 22 com deflação (inflação negativa) de 0,04% – com queda de 0,17 ponto percentual.

Das outras quatro capitais com desaceleração de preços, duas fecharam com resultados abaixo da média para as sete capitais: Belo Horizonte (de 0,15% para 0,02%, a segunda menor taxa do país); e Porto Alegre (de 0,36% para 0,09%). Em Brasília, a taxa caiu de 0,47% para 0,32% e em São Paulo, de 0,43% para 0,37%.

FONTE : AGÊNCIA BRASIL

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Economia : Petrobras reajusta preço do gás de cozinha em 8,9%


O aumento se deve principalmente à alta das cotações do produto nos mercados internacionais


Gás de cozinha

Gás de cozinha Foto: Leo Motta/ Arquivo Folha de Pernambuco

A Petrobras reajustou em 8,9%, em média, o preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso residencial, engarrafado pelas distribuidoras em botijões de até 13 quilos (kg). O reajuste do gás de cozinha entra em vigor à 0h desta terça-feira (5).

O aumento se deve principalmente à alta das cotações do produto nos mercados internacionais, que acompanha a alta do Brent, (petróleo cru), que indica a origem do óleo e o mercado onde ele é negociado, segundo a Petrobras. Desde que a Petrobras iniciou o ciclo de alta, em agosto, o reajuste acumulado no preço do gás vendido em botijões de 13 quilos chega a 67,8%

Leia tambémMorre mais uma vítima de explosão de botijão de gásDívida pública tem aumento de R$ 8 bilhões em outubro
Aumento de 4,5% no gás de cozinha passa a valer hoje

O percentual anunciado de reajuste leva em contra preços praticados sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado ao consumidor, a Petrobras estima que o preço do botijão de gás de cozinha de 13 kg deve subir, em média, 4%, ou cerca de R$ 2,53 por botijão, isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

Em nota, o Sindicato das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) afirma que o reajuste anunciado pela Petrobras ainda deixa o preço dos botijões de cozinha de 13kg cerca de 1,3% abaixo do preço de paridade internacional.

FONTES : AGÊNCIA BRASIL E FOLHA DE PERNAMBUCO

CIDADES : Goiana e mais duas cidades poderão integrar Região Metropolitana do Recife

 


Com um olhar global de desenvolvimento econômico e social melhor distribuído no Estado, foi apresentada uma Emenda Modificativa do deputado estadual Ricardo Costa (PMDB) ao Projeto de Lei que será votado, amanhã, na Comissão de Justiça, que tem o objetivo de incluir na Região Metropolitana os munícipios de Escada, Goiana e Vitória de Santo Antão, municípios estes que foram preparados ao longo dos anos para o desenvolvimento social e econômico.
Os requisitos necessários para que isto seja viabilizado são: Evidência ou tendência de connurbação; Necessidade de organização, planejamento e execução de funções públicas ou interesses comuns de duração contínua; Existência de integração funcional socioeconômica, socioambiental e de serviços.
Essa inclusão não trará prejuízo algum aos municípios que integram a RMR e nem tão pouco para o Estado. A medida tem como finalidade colocar os três munícipios no planejamento, no desenvolvimento, nas políticas públicas federais e estaduais, nas discussões econômicas e sociais, nas decisões e rateio de custos relacionados à RMR.
Com esses três municípios fazendo parte da Região Metropolitana do Recife, consequentemente crescerá a potencialidade de desenvolvimento nos seus arredores, nas cidades vizinhas, expandindo assim o crescimento de atuação da RMR. O território da não é expandido há aproximadamente quatro décadas. O acréscimo que a emenda sugere é um cuidado a mais com o futuro do Pernambuco tão sonhado, com isso o desenvolvimento sendo ainda melhor distribuído.
Informações sobre os municípios
Escada – 193,2 hab/KM² e um PIB em torno de 530.000,000, 00 (Quinhentos e trinta milhões de reais) também podemos destacar um investimento inicial de R$ 60.000,000,00 (sessenta milhões de reais) da implantação da petroquímica o qual deverá chegar a R$ 150.000,000,00, (cento e cinquenta milhões de reais) que será responsável pela criação de 70 empregos diretos.
Goiana – 362,17hab/KM ² e um PIB em torno de 900.000.000,00 (Novecentos milhões de reais), e foram gerados importantes investimentos tais como a Fábrica de JEEP e a VIVIX.
Vitória de Santo Antão – 153,7 hab/KM² e um PIB em torno de 1.200,000, 000,00 (Hum milhão e duzentos mil reais) com empreendimentos tais como Metal Frio, a Fábrica da Pitu e a Sadia, que vieram mudar a face do município.

FONTE : BLOG DO ELIELSON

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

MURAL DE RECADOS