sexta-feira, 30 de setembro de 2016

ELEIÇÕES 2016 : Opinião em Goiana: Edval 35,4% e Osvaldinho 35,1%


Goiana, cidade sede da Fiat, na Zona da Mata Norte, a 62 km do Recife, tem tudo para ser palco da eleição mais disputada de Pernambuco. Ali, faltando dois dias para o pleito, os candidatos do PR e do PMDB, Edval Soares, e Osvaldo Rabelo Filho, o Osvaldinho, aparecem empatados e devem decidir nas urnas voto a voto, no próximo domingo. Segundo pesquisa do Instituto Opinião, Edval aparece com 35,4% das intenções de voto contra 35,1% de Osvaldinho. Bem atrás, e por último, surge o candidato Marcone Menezes,  do PSB, com 16,3%. Brancos e nulos somam 5,4% e indecisos 7,8%.
Na espontânea, modelo pelo qual entrevistado é forçado a lembra do nome do seu candidato sem o auxílio do disco contendo o nome de todos os candidatos, a briga se repete. Edval tem 31,1% e Osvaldinho 30,3%. Menezes aparece com 11,7% e brancos e nulos são 5,1%, enquanto os indecisos sobem para 21,5%.
No quesito rejeição, Osvaldinho aparece no topo. Entre os entrevistados, 25,4% disseram que não votariam nele de jeito nenhum. Pela ordem, o segundo mais rejeitado é Menezes, com 24% e em terceiro Edval com 22%. Ainda entre os entrevistados, 3,1% disseram que rejeitam todos e 25,5% disseram que não rejeitam nenhum dos candidatos.
Em Goiana, o Instituto Opinião aplicou 350 questionários entre os dias 26 e 27 últimos nas localidades de Balde do Rio, Boa Vista, Carne de Vaca, Carrapicho, Castelo Branco, Catuama, Centro, Cocota, Flexeiras, Ibaipicu, Impoeira, Melões, Mutirão, Nova Goiana, Nova Terra, Pontas de Pedra, Tanquinho, Tejucupapo, Usina Santa Tereza e Vila Operária.
O intervalo de confiança estimado é de 95,0% e a margem de erro máxima estimada é de 5,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares. A pesquisa está registrada sob o protocolo PE-04653/2016.
Estratificando levantamento, Edval aparece melhor situado entre os eleitores na faixa etária acima de 60 anos (55,6%), entre os eleitores com renda familiar entre um e dois salários(43,6%) e entre os eleitores com grau de instrução no ensino médio (38,3%). Por sexo, 35,9% dos seus eleitores são mulheres e 34,9% dos seus eleitores são homens.
Já Osvaldinho se situa melhor entre os eleitores na faixa etária entre 35 e 44 anos(41,6%), entre os eleitores com renda familiar acima de cinco salários(40,5%) e entre os eleitores com grau de instrução até o 5º ano (38,5%). Por sexo, 37,3% dos seus eleitores são homens e 33,2% dos seus eleitores são mulheres.
Avaliação da gestão
O prefeito Fred Gadelha (PTB), que desistiu de disputar a reeleição, aparece com um percentual elevadíssimo de reprovação da sua gestão: 90,9%. Entre os entrevistados, apenas 6% aprovam a sua administração, enquanto o Governo Paulo Câmara tem 40,6% de aprovação e 31,1% de desaprovação. A gestão do presidente Temer tem 58,6% de desaprovação e 15,7% de aprovação. 

FONTE : BLOG DO MAGNO MARTINS

ECONOMIA : PARALISAÇÃO - Sem previsão de acordo, greve dos bancários completa 25 dias


Na última quarta-feira, os bancários recusaram proposta feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban)
Em todo o país, 13.358 agências bancárias tiveram suas atividades paralisadas. Foto: Maira Baracho/DP
Em todo o país, 13.358 agências bancárias tiveram suas atividades paralisadas. Foto: Maira Baracho/DP

A greve nacional dos bancários completa nesta sexta-feira 25 dias, sem previsão de nova reunião de negociação com os representantes dos bancos. Em todo o país, 13.358 agências tiveram suas atividades paralisadas, o que corresponde 57% do total, além de 34 centros administrativos. A paralisação deste ano já é considerada uma das greves mais longas da história da categoria.

Na última quarta-feira, os bancários recusaram proposta feita pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

Em nota, a entidade patronal disse que ofereceu reajuste de 7% nos salários e benefícios, abono de R$ 3,5 mil e propôs que a negociação de 2016 tenha duração de dois anos, com garantia de reajuste da inflação e ganho real de 0,5% em 2017.

A oferta foi considerada insuficiente pelos trabalhadores, que reivindicam reposição da inflação (9,62%) mais 5% de aumento real; piso salarial de R$ 3.940,24; melhores condições de trabalho e fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações, entre outras demandas.

Desde agosto de 2015, segundo os sindicatos da categoria, os bancários acumulam redução salarial de 9,62%.

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf), Roberto von der Osten, a greve seguirá forte. “Estamos lutando por dignidade e respeito”, disse o sindicalista.

FONTE : DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

MURAL DE RECADOS