terça-feira, 9 de agosto de 2016

COTIDIANO : Sítio Histórico de Olinda está sem câmeras desde o carnaval

Moradores denunciam que assaltos são recorrentes - aumento foi 42,4% no primeiro semestre

                                                       Alfeu Tavares/ Folha De Pernambuco
SDS disse que as câmeras de viodemonitoramento são passíveis de defeitos


Com o sentimento de insegurança, moradores do Sítio Histórico de Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR), denunciam a falta de funcionamento das câmeras de videomonitoramento do local. Após vários debates com a prefeitura do município, para pedir intervenção contra os frequentes arrombamentos a residências e assaltos a transeuntes, moradores cobram a reativação das 16 câmeras da Secretaria de Defesa Social (SDS) distribuídas pela Cidade Alta. Segundo eles, os dispositivos estão inoperantes desde o último Carnaval. O índice de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP), que compreende roubos, furtos e outras modalidades, aumentou 42,4% no primeiro semestre deste ano, quando comparado com o mesmo período do ano passado. A SDS registrou 2.843 ocorrências contra 4.051 de 2015.

A inoperância das câmeras do Sítio Histórico foi exposta pelo Companhia Independente de Apoio ao Turista (CIATur) durante reunião com representantes da Sociedade Olindense de Defesa da Cidade Alta (Sodeca), na semana passada. “Temos a sensação que nenhum desses equipamentos funciona. Os assaltos ocorrem justamente na rua em que há câmera e nada é registrado. Ninguém é identificado e preso? Na maioria das vezes, o papel de registrar um flagrante é feito pelos circuitos das casas e estabelecimentos. Isso tem que mudar”, criticou o conselheiro da Sodeca Edmilson Cordeiro. Segundo ele, amanhã, o movimento se reunirá para definir a elaboração de um ofício requerendo uma reunião com o governador Paulo Câmara.

O anseio dos moradores chegou também às redes sociais. A comunidade do Facebook “Eu morador de Olinda” contabilizou quase mil curtidas em apenas dez dias. O movimento foi criado para dar espaço aos moradores na construção de pleitos para melhoria da Cidade Alta, além de ser um canal de denúncias para assaltos e outros crimes. 

Uma empregada doméstica de 48 anos, que há seis anos trabalha em uma residência na rua Prudente de Morais, no bairro do Carmo, lamentou a insegurança. Ela foi assaltada dentro do imóvel. “Ele se fingiu de agente de saúde. Estava de colete e tudo mais. Se a câmera que fica aqui perto funcionasse, com certeza tinha registrado a saída dele”, relatou a mulher que preferiu não se identificar. 

Procurado pela Folha de Pernambuco, o comandante da CIATur, major Alano Araújo, disse que está em trâmite na Procuradoria Geral de Olinda um convênio entre a PM e a Prefeitura de Olinda para a implantação de uma central de monitoramento das câmeras no Sítio Histórico. Em nota, a Prefeitura de Olinda informou que há um diálogo entre as instituições para estabelecer parceria no sentido de melhorar a segurança na região. Já a SDS limitou-se a dizer que as câmeras de viodemonitoramento são passíveis de defeitos. 

FONTE : FOLHA DE PERNAMBUCO
 

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

MURAL DE RECADOS