segunda-feira, 11 de julho de 2016

POLÍCIA : Operação Clínica Geral prende criminosos em Paulista e Igarassu


Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal

Um grupo especializado na prática de homicídios, assaltos e tráfico de drogas foi preso na sexta-feira (8) dentro da Operação Clínica Geral.
A captura dos integrantes teve início em Maranguape Um, com a prisão de Renato Ferreira de Amorim, de 20 anos, e a apreensão de um menor de 16 anos, foragido de uma unidade da Funase, quando repassavam entorpecentes na localidade.
Na segunda autuação, o alvo foi o quartel general do grupo, em Cruz de Rebouças, em Igarassu na Região Metropolitana do Recife. Lá a polícia já havia efetuado duas investidas sem sucesso e prendeu o gerente do tráfico, Mércio José de Oliveira, de 19 anos, Rafael Berto de Lima, também de 19 anos, e Luiz Canalis Feitosa Penha, de 20 anos, que estava em liberdade há 1 mês, depois de envolvimento com o tráfico. Ele perdeu uma quantidade de entorpecente do grupo e por isso estava sendo obrigado a traficar de graça.
Além das prisões, o delegado seccional do Paulista, Ivaldo Pereira, conseguiu ao comando da organização criminosa. 
Os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro: 
Na casa onde os criminosos organizavam as ações, a polícia apreendeu sete sacos com 330 pedras de crack e 300 big bigs de maconha, o equivalente a R$ 7 mil e um caderno com as movimentações financeiras da quadrilha. 
A polícia estima que, por semana, eram movimentados R$ 10 mil, que eram partilhados entre os vendedores e o comandante de dentro do presídio de Igarassu. 
Pelo menos 15 mortes na localidade foram confirmadas pelo grupo. Mércio, gerente operacional, por exemplo, havia recebido a missão de efetuar três homicídios esta semana.
Os envolvidos foram encaminhados para o Cotel e Funase por tráfico de drogas e associação para o tráfico, e agora são investigados por homicídios.

FONTE : Rádio Jornal

ARRECADAÇÃO : 'Vaquinha' para Dilma alcança R$ 725 mil

As criadoras da plataforma no site Catarse são duas antigas 
amigas da presidente afastada
Dilma sofre restrições ao uso de aviões da FAB  / Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Dilma sofre restrições ao uso de aviões da FAB
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A campanha de financiamento coletivo criada para bancar as viagens pelo País da presidente da República afastada, Dilma Rousseff atingiu a marca de R$ 725 mil, ou 145% do previsto. A equipe da petista aguarda dobrar a meta inicial de R$ 500 mil para encerrar a campanha e retirar o dinheiro para financiar as viagens pelo País
Além disso, eles terão de deixar 13% do total para a administração do Catarse, dona da plataforma digital, e pagar 4% em impostos.
As criadoras da plataforma no site Catarse são duas antigas amigas da presidente afastada. Guiomar Lopes e Celeste Martins lutaram na ditadura militar ao lado de Dilma.

No vídeo de apresentação da iniciativa, elas afirmam que a ferramenta é uma forma de viabilizar a continuidade da luta pela democracia. “Achamos importante abrir uma conta onde as pessoas pudessem fazer doações e haver disponibilidade de recursos que a presidenta pudesse usar para as suas viagens,” disse Guiomar.
No início de junho, quando Dilma já havia sido afastada pelo Senado, ela sofreu restrições de uso de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para se deslocar pelo Brasil. Desde então, Dilma só pode recorrer às aeronaves oficiais para viajar entre Brasília e Porto Alegre, onde mora sua família.
FONTE : O ESTADÃO

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

MURAL DE RECADOS