terça-feira, 4 de outubro de 2016

ECONOMIA : ESTATÍSTICA - Preço da cesta básica na RMR cai pelo segundo mês consecutivo

Mesmo com a redução, o valor da cesta básica da Região Metropolitana do Recife compromete, ainda, 43,57% do salário mínimo
Cai preço da cesta básica na RMR (IDEME/Divulgação)

O custo da cesta básica na Região Metropolitana do Recife caiu pelo segundo mês consecutivo. A pesquisa realizada pelo Procon-PE apontou que entre os meses de julho e setembro, o preço caiu o equivalente a 2,48%. Em outras palavras, ficou R$ 9,70 mais barato. Em julho, o consumidor comprava uma cesta por R$ 393,09 e agora já encontra por R$ 383,39.

Os integrantes do setor de alimentação que apresentaram queda foram o arroz, feijão mulatinho, café em pó, farinha de mandioca, fubá, batata inglesa, cebola, alho, leite em pó, biscoito maisena e charque de segunda. Açúcar cristal, óleo de soja, macarrão, frango resfriado e salsicha continuaram com os preços de agosto.

Na limpeza doméstica, apenas o sabão em pó registrou preço mais baixo. Por sua vez, o sabão em barra, a água sanitária e a lã de aço mantiveram seus valores. Na higiene pessoal, caíram os preços do papel higiênico e do absorvente higiênico.

Mesmo com a redução, o valor da cesta básica da Região Metropolitana do Recife compromete, ainda, 43,57% do salário mínimo. A pesquisa toma como base a cesta básica mensal para uma família composta por quatro pessoas, sendo dois adultos e duas crianças. 

FONTE : DIÁRIO DE PERNAMBUCO

ECONOMIA : QUINTA-FEIRA -No Recife, Justiça determina que quatro agências da Caixa Econômica funcionem mesmo com greve

As agências da Caixa Econômica Federal no Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região, do Fórum do Recife, da Justiça do Trabalho de Jaboatão e da Justiça do Trabalho do Recife funcionarão em horário especial

A partir desta quinta-feira, mesmo com a greve dos bancários mantida, quatro agências da Caixa Econômica Federal voltarão a funcionar no Recife. A determinação, da juíza Mariana de Carvalho Milet, foi durante uma audiência de conciliação, nesta terça-feira, entre a categoria, os bancos e a OAB-PE. A reunião aconteceu na 11ª Vara do Trabalho. A determinação tem como justificativa o pagamento dos alvarás dos cidadãos e advogados. 

Com a determinação, as agências  da Caixa Econômica Federal no Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6), do Fórum do Recife, da Justiça do Trabalho de Jaboatão e da Justiça do Trabalho do Recife funcionarão em horário especial, das 10h às 12h, exclusivamente para atender os alvarás expedidos pelos órgãos do Poder Judiciário Estadual e do Poder Judiciário Federal.

A audiência foi realizada no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e participaram representantes do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional de Pernambuco (OAB-PE) e da Caixa Econômica Federal (CEF). 

No final de outubro, a OAB entrou na justiça para pedir a prisão da presidenta do Sindicato dos Bancários de Pernambuco Suzineide Rodrigues. O pedido foi negado pela Justiça do Trabalho. Em seu despacho de 2 de outubro, a juíza Mariana de Carvalho Milet considerou o pedido de prisão "medida excepcional e extrema" e que não se adéqua ao tratamento jurídico que deve ser dado à greve dos bancários.

Reivindicações
Os trabalhadores dos bancos pedem reajuste salarial de 14,78%, dos quais 5% são de aumento real. A pauta inclui ainda participação nos lucros e resultados de três salários mais R$ 8.297,61; piso salarial de R$ 3.940,24; vales alimentação e refeição, e auxílio-creche/babá no valor do salário mínimo nacional (R$ 880). 

Atualmente, os bancários têm um piso de R$ 1.976,10 (R$ 2.669,45 para os funcionários que trabalham no caixa ou tesouraria). Na última rodada de negociação, encerrada no dia 28 de setembro, os bancos fizeram uma proposta de novo modelo de acordo para a categoria, com validade de dois anos, em vez de um, como ocorreu nos últimos anos.

A última proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) foi, segundo os bancários, no dia 28 de setembro, quando foi proposto reajuste de 7% e um abono de R$ 3,5 mil, com aumento real de 0,5% para 2017. A proposta patronal foi rejeitada pelo Comando Nacional dos Bancários.

FONTE : DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

MURAL DE RECADOS