quinta-feira, 14 de julho de 2016

ELEIÇÕES : PRÉ-CANDIDATOS DO PEN-OLINDA DENUNCIAM COOPTAÇÃO DO PSB

pen

Os pré-candidatos a vereador pelo Partido Ecológico Nacional (PEN) em Olinda, bem como a comissão provisória do partido no município condenaram, ontem (13), o que classificaram de manobra do comando estadual na sigla de apoiar o pré-candidato do PSB à Prefeitura de Olinda, Antônio Campos. O partido já tinha fechado com o deputado estadual Ricardo Costa (PMDB) para apoiá-lo na disputa.
“O vereador Davi Leal junto ao secretário executivo Pedro Leão e outros alegaram ‘ideais convergentes’ para se coligar com o Movimento Muda Olinda. Mas que ‘ideais’ convergentes são esses em que nós olindenses do PEN sequer somos consultados?”, disparou José Espínola de Oliveira, presidente da comissão provisória do PEN.
Apesar da proposta, estabelecida pela executiva estadual, o grupo pretende não desistir de apoiar a candidatura do parlamentar. “Há três meses, pegamos o partido sem ninguém e o organizamos por meio de consultas aos membros da Comissão Provisória com a melhor proposta, que é Ricardo Costa. Não vamos desistir, porque esperamos que a situação seja revertida”, completou o presidente.
Durante o ato, ele reuniu assinaturas dos 17 pré-candidatos da legenda. O documento, segundo Espínola, será levado ao conhecimento da executiva nacional e à Justiça Eleitoral.
Nome preferido pelo grupo para a disputa em Olinda, o deputado Ricardo Costa disse ter sido pego de surpresa com a mudança.
“A gente não pode se quebrar diante de um problema como este que representa a ‘velha política’. A gente pode ser pequeno, mas tem que ser digno. Deixo meu apoio aos companheiros do PEN e afirmo que esse sofrimento não será em vão”, completou.
FONTE : BLOG OLINDA HOJE

EMPREGO E CONCURSOS : Prefeitura de Paulista deve manter anulação de concurso, diz MPPE

Promotora recomendou que município suspenda homologação de resultado.
Seleção teve 13 mil candidatos inscritos, que disputaram 353 vagas.


Resultado de imagem para PREFEITURA DE PAULISTA PE

Em audiência pública realizada na quarta-feira (13), o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou que a Prefeitura de Paulista, no Grande Recife, suspenda a homologação do resultado do concurso público para professores da rede de ensino municipal.  Essa medida deve ser mantida durante o prazo necessário para elucidar as irregularidades apontadas por candidatos que procuraram a Promotoria de Justiça do município.
O certame foi destinado a professores, nutricionistas e intérpretes de libras. e teve as inscrições iniciadas em abril deste ano. Ao todo, mais de 13 mil candidatos se inscreveram para as 353 vagas disponibilizadas pelo município.

De acordo com a promotora de Justiça Maria Aparecida Barreto, o MPPE realizou uma reunião no dia 8 de julho para ouvir representantes da gestão municipal, das empresas responsáveis pela aplicação dos exames, bem como dos candidatos. Na ocasião, uma das empresas solicitou um prazo para apresentar sua defesa. Esse prazo legal é de 15 dias, a serem contados a partir de 11 de julho.

Segundo a promotora, é mais prudente manter a suspensão diante da necessidade de continuidade das investigações. Uma das questões a serem apuradas é a declaração de nulidade de uma questão da prova objetiva realizada em 29 de abril, já durante a etapa de recebimento de títulos. Isso, na opinião da promotora, acabou por alterar a lista dos supostos aprovados anteriormente publicada.

A primeira recomendação para suspensão do concurso foi feita no dia 22 de junho. Entre as alegações para a decisão, estavam erros nos cartões de inscrição e falhas no conteúdo das provas.

Motivos
No dia 30 de junho deste ano, a Prefeitura de Paulista apresentou explicações sobre a suspensão do concurso. Na época, o secretário de Educação de Paulista, Carlos Júnior, informou que os problemas estavam relacionados à empresa vencedora do processo licitatório para a realização das provas.

Ainda de acordo com Júnior, houve também problemas com a orientação dos fiscais em sala de aula e denúncias de uso de celular durante o exame. Erros no exame de títulos dos candidatos aprovados também foram reportados pela pasta.

Apesar dos erros, Júnior esclareceu que a empresa estava habilitada a participar do processo licitatório. O secretário de Educação de Paulista também explicou que o certame permaneceria suspenso, a princípio, até 7 de julho.

FONTE : G1 PERNAMBUCO

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

MURAL DE RECADOS